domingo, 8 de abril de 2012



HABERMAS E SEUS MÉTODOS DA EDUCAÇÃO. 


Sou um pesquisador na educação, com isto não tem como não vir a ser simpatizante de Habermas,que trabalha com a conscientização, e as problematizações na formação docente. Vejamos mais um pouco de um texto deste Filosofo.

Quando os pais querem educar os seus filhos,quando as gerações que vivem hoje querem se apropriar do saber transmitido pelas gerações passadas,quando os indivíduos e os grupos querem cooperar entre si, isto é, viver pacificamente com o mínimo de emprego de força, são obrigados a agir comunicativamente. Existem funções sociais elementares que, para serem preenchidas, implicam necessariamente o agir comunicativo. Em nossos mundos da vida, compartilhados intersubjetivamente e que se sobrepõem uns aos outros, está instalado um amplo pano de fundo consensual, sem o qual a prática cotidiana não poderia funcionar de forma nenhuma.  É através das estruturas simbólicas do mundo da vida  que ocorrem os processos de aprendizagem que compõe a práxis educativa. Desde a infância, já somos condicionados por diversos aspectos do mundo, que nos possibilitam o exercício da socialização. Assim, quando pensamos em educação, devemos compreendê-la como uma ação social (interação) voltada à solução de um problema de coordenação entre os planos de ação de dois ou mais atores, de modo que as ações de Alter possam conectar-se às ações de Ego. Na interação a ação só se viabiliza porque nos encontramos com outros em um mundo compartilhado. É importante que fique claro que não somente uma estrutura teleológica (meio-fim), mas uma estrutura comunicativa da ação é fundamental para se pensar a ação social e, em especial, a ação pedagógica como parte daquela. Esta compreensão nos permite dar um passo além, no sentido de entendermos as formas de orientação das ações, que se estabelecem na estrutura formal das interações. Assim, ele concebe a práxis comunicativa como uma possibilidade de reacoplamento da ciência e da técnica ao mundo da vida. O contexto educativo atual carece de uma relação teoria e prática que privilegie o comprometimento de todos os atores do processo interativo, de modo que seja garantida a possibilidade de uma construção coletiva do conhecimento comprometida com o contexto social. Essa relação se constitui de forma mais clara quando compreendemos a função da práxis comunicativa na educação. 

ME AJUDE NO MINHA TRAJETÓRIA  DE ACADÊMICO E PESQUISADOR.  PARA ME APOIAR NA FACULDADE, NO CUSTEIO. ENTRE EM CONTATO COMIGO pallarlemos@bolmail.com.br

4 comentários:

  1. Interesantes planteamientos, gracias por compartir.

    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  2. Todo el tiempo invertido en educación es el mejor empleado. Gracias.

    ResponderExcluir
  3. ありがとう御座います。

    ResponderExcluir
  4. Parabéns pelo blog!! É bom ver colegas pesquisando a educação.

    Sinta-se convidado a me visitar http://bardopedagogo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir