sábado, 4 de fevereiro de 2012


MODERNIDADE E SEUS EFEITOS NA  SOCIEDADE E NA FORMAÇÃO.

Os efeitos da modernidade são facilmente visualizados na sociedade, suas conseqüências globais interferem diretamente na vida dos indivíduos, não havendo mais divisão entre as esferas micro e macro social. Um exemplo disto é a forma como as instituições modernas se relacionam com a natureza, que a propósito não é pensada em termos de sobrevivência dos seres humanos, mas enquanto fonte indiscriminada de lucro. A especialização e domínio tecnológico para exploração de seus recursos trouxeram inumeráveis benefícios aos indivíduos, dentre eles a capacidade de produção dos alimentos e seu ideal moderno de superação da fome. Entretanto, o ideal ficou bem aquém do real, o excedente extraído da natureza não foi utilizado para a superação da fome, mas para a contínua e insaciável geração de lucro das instituições privadas.
Além do projeto frustrado do modernismo, vale ressaltar que os riscos oriundos desta exploração desenfreada atingem diretamente a vida dos indivíduos. Muitas das catástrofes consideradas “naturais” não são apenas fatalidades, mas, conseqüência da má utilização dos recursos naturais. As benesses da modernidade com relação à expansão urbana, asfaltamento das vias e a motorizarão dos veículos culminou no risco de morte dos sujeitos e no quase esgotamento dos lençóis freáticos, que eram reservatórios naturais das águas da chuva, e, conseqüentemente fonte de água para sobrevivência humana. A questão é que trocamos alguns meios de sobrevivência (alimento, água etc) pelo desejo de superação de antigos modelos de vida social (Bauman, 1999). Devido o desejo de superação de antigos conflitos sociais, trocamos alguns problemas simples pela complexidade dos conflitos modernos. Se por um lado, o modernismo intuía que na racionalização da sociedade haveria “a superação dos males sociais”, por outro lado, não conseguiu prever que o fruto de uma sociedade modernizada geraria conflitos de alta complexidade resolutiva. Onde a educação tem que estar inteirada destes avanços e na percepção do cosmo social, a fim de compreender a humanidade em todos seus desafios podendo suprir as carências formativas da intelectualidade no Ser, em todos os seus enfoques sociais, desafios de uma era, onde o Ser depende do ter e do captar a conexão do saber multifacetado. 

Um comentário:

  1. Muito significativo seu artigo, ajudou-me no trabalho de filosofia.
    Obrigado

    ResponderExcluir